Síndrome de Burnout

A Síndrome de Burnout é um transtorno psíquico definido como um estado de esgotamento físico e mental cuja causa está intimamente ligada à vida profissional.  A síndrome de Burnout (do inglês to burn out, algo como queimar por completo), também chamada de Síndrome do Esgotamento Profissional, foi assim denominada pelo psicanalista nova-iorquino  Herbert Freudenberger, após constatá-la em si mesmo, no início dos anos 1970.

Além do esgotamento e da sensação de fadiga constante, outros sintomas são queixas físicas generalizadas como enxaquecas, tensões musculares, irritabilidade e intolerância, insônia, desinteresse pelo trabalho, falta de concentração e baixa autoestima.

A dedicação exagerada à atividade profissional, extrema ambição e o desejo de ser o melhor e destacar-se no trabalho, em detrimento de outros aspectos de vida pessoal, são algumas das características que predispõe para a síndrome de Burnout .

Estudado no início como um transtorno que acometia principalmente profissionais de saúde e de serviços que prestam atendimento a pessoas, sabe-se hoje que o burnout pode acometer pessoas das diferentes profissões. 

Há uma sensível semelhança entre os sintomas do burnout e da depressão.  Um diferencial importante entre as duas doenças é que na depressão, o esgotamento físico e mental ocorre em todas as áreas da vida, enquanto que no burnout ele afeta predominantemente o trabalho, podendo a pessoa ser feliz e produtiva nas demais áreas da vida.